O CINEMA URUGUAIO CONTINUA CATIVANDO O MUNDO

Data de publicação: 13/09/2018

O filme "Belmonte" foi estreado no quadro do Festival de Cinema de Toronto, enquanto o Festival de Biarritz irá realizar uma homenagem com uma retrospectiva de dez filmes uruguaios, entre outras atividades.

O valor do cinema uruguaio já foi demonstrado em várias ocasiões. A década de '90 marcou um antes e um depois na indústria cinematográfica local com o estreio do popular longa-metragem "La historia casi verdadera de pepita la Pistolera" e "El dirigible". Em princípios dos anos 2000, o filme "25 Watts", que recebeu uma dezena de prêmios em nível internacional, "En la puta vida", que também teve grande sucesso comercial, e a afamada pela crítica "Whisky", bem como a aplaudida "El baño del Papa", entre tantas outras.

Essas produções abriram uma porta para o cinema uruguaio no mundo, que na atualidade possui um importante reconhecimento internacional. Foram seguidas por outras produções de sucesso, e agora a história continua com o filme "Belmonte", uma coprodução do Uruguai, a Espanha e o México, que conta o percurso emocional de um pintor divorciado frente às mudanças no seu mapa familiar.

O longa-metragem do realizador uruguaio Federico Veiroj foi estreado na quinta-feira 6 de setembro no Festival Internacional de Cinema de Toronto e será apresentado em setembro no Festival de Cinema de San Sebestián.

Enquanto isso, no Festival de Cinema da América Latina de Biarritz, o Uruguai ocupará o espaço de convidado de honra, com uma retrospectiva de 10 filmes representativos do seu cinema: “El círculo” (2008), “El hombre nuevo” (2015), “Hiroshima” (2010), “Jamás leí a Onetti” (2009), “La vida útil” (2010), “Las flores de mi familia” (2016), “Mundialito” (2010), “Mal día para pescar” (2009) e “Solo” (2013).

Essas exibições serão realizadas como homenagem pelos dez anos da criação da Diretoria do Cinema e o Audiovisual Nacional (ICAU) e da primeira lei sobre o cinema no Uruguai.

Paralelamente, outros dois filmes irão participar da competição oficial do festival. "La noche de 12 años", de Álvaro Brechner concorrerá na seção Ficção, enquanto "Locura al aire", que aprofunda no encontro no México de rádios gerenciadas por pacientes psiquiátricos, da qual participou a rádio Vilardevoz, do Hospital Vilardebó do Uruguai, concorrerá na seção documentário.

A sexagésima sexta edição do Festival Internacional de San Sebastián também contará com presença uruguaia. Além do filme "Belmonte", que representará ao país na seção Zabaltelgui Tabakalera, que procura novos olhares e formas, outros três filmes participarão pelo prêmio Horizones: “La noche de 12 años”, “Las herederas” e “Motoarrebatador”.

Adicionalmente, outros dois filmes foram selecionados para a trigésimo quarta edição de Cinema em Construção desse festival. Entre um total de 181 produções, as uruguaias “Mateína”, de Joaquín Peñagaricano e Pablo Abdala, e “Los tiburones”, de Lucía Garibaldi, foram escolhidas para esse programa de ajudas ao cinema latino-americano que se realiza a cada dois anos.

O Uruguai oferece um local ideal para trabalhar com facilidade e em harmonia com os exigentes tempos da indústria audiovisual, com a vantagem que oferecem as curtas distâncias e as estradas acessíveis, o destacado nível de seus técnicos e da infraestrutura de filmagem disponível na indústria, sua população naturalmente cálida e amigável e o fato de ser o país mais seguro e transparente da América Latina.

Conheça mais sobre a proposta de valor para o setor audiovisual que oferece o país.

 


retorna

  • partilhar