"Eu só sei que nada sei"

É habitual muitos empreendedores uruguaios terem em sua lista de desejos exportar. É lógico. Quando nós pensamos no mercado do nosso país, sabemos que as possibilidades são, pelo menos, limitadas. No entanto, muitas vezes as empresas acabam não fazendo bem o dever de casa para conseguir sair mundo afora. É comum ver como pulam passos correndo atrás desse objetivo.

Para os pequenos empresários o caminho é ainda mais difícil. Estão sozinhos, com muitas tarefas. Principalmente no início, quando ainda não há estrutura e tudo passa pelas mãos deles. A pergunta mais comum que ouvimos é "o que faço primeiro?", considerando que dispõem de pouco capital e pouca ajuda. Como fazer para não descuidar as coisas mais importantes do seu negócio sem ser consumido pelas urgências do dia a dia?

Bom, para responder essas perguntas, é necessário que conheçam e compreendam suas empresas e o mercado onde interagem. Estabelecer as prioridades dos assuntos pendentes deverá se definir, em boa medida, de acordo com o impacto que os seus resultados (bons ou ruins) possam gerar.

Para conhecer a empresa, é preciso dispor de informações atualizadas e entender o que acarreta a gestão da empresa. Ser organizado ao estabelecer quais são as tarefas necessárias, quais procedimentos requerem e quais sãos os mecanismos para o seu controle. Uma vez feito isso, é preciso estabelecer quais são os indicadores necessários para ter clareza em relação ao desempenho do negócio.

Muitas empresas contam com sistemas que podem facilitar as informações. Trata-se, portanto, de pesquisar que possibilidades de reporte têm os sistemas usados e estabelecer um ritmo periódico para dar uma olhada nesses dados.  

Muitas empresas ainda não têm sistemas de faturamento, pelo que deverão estabelecer a forma de gerenciar os seus números, para poder obter de forma simples as informações que procuram. Nessa fase, o Excel pode ser um aliado ideal.

Muitas tarefas são imprevisíveis e esporádicas, mas outras são de rotina e recorrentes. É necessário ser engenhoso para detectar isso e alcançar procedimentos claros e datas pré-estabelecidas para realizá-los. Se conseguir achar as formas de organizar e simplificar essas tarefas, poderá contar com informações em dia que sirvam de apoio para a tomada de decisões. As informações estarão disponíveis para todos (e não passará muito tempo para que estejam incorporadas na vida da empresa) o que resultará em poupança de tempo e de dinheiro.

Aqueles que estão na liderança das empresas tomam várias decisões diariamente, seu trabalho é tomar decisões. Cometer erros é algo grave? Muitas vezes nem tanto, se formos o suficientemente rápidos para dar uma virada no timão e mudar o rumo, no caso de ser necessário. Quanto mais ágil seja a gestão do negócio, será possível testar uma maior quantidade de rumos diferentes e se adiantar ao fracasso, tomando ações corretivas antes de que as decisões gerem um grande impacto negativo.

Por último, é chave que cada um conheça a si próprio e não procure saber absolutamente tudo. O caminho do empreendedor apresenta grandes desafios pessoais. Quanta mais predisposição haja para revisar condutas e (maus) hábitos, aprender e mudar, mais fácil será nos adaptarmos às novas realidades, conseguir melhores resultados e nos tornar mais eficientes na vida mesma.

Gabriela Durlacher & Alejandro Laborde

Sócios fundadores BMLatam

  • partilhar